Oração

“A nossa vida de oração reflete o nosso relacionamento com Deus”. Ouvi recentemente essa frase de um pastor. É uma grande verdade! Não é sensato dizer que nos relacionamos com alguém se não nos comunicamos com essa pessoa. Tampouco podemos dizer que temos um bom relacionamento com uma pessoa, se não falamos com ela frequentemente. Gostaria de abordar 3 aspectos envolvidos na oração: compromisso, aprendizado e desenvolvimento.

Compromisso. Sem um compromisso genuíno com Deus, a oração será apenas um ritual mecânico, uma obrigação. Esse compromisso só é possível ser estabelecido através de Jesus, que declarou: “ninguém vem ao Pai, a não ser por mim”. Ele disse que os que oram usando “vãs repetições” não serão ouvidos. Por que muitos oram assim? Porque não têm um compromisso genuíno com ele. Se nossas orações são “vãs repetições”, algo está errado em nosso compromisso com Deus.

Aprendizado. Certa vez pediram a Jesus que os ensinassem a orar. A Palavra de Deus nos ensina tudo o que precisamos saber sobre a oração. Um certo site recomenda a seguinte oração: “Eu suplico Senhor Jesus, tire do meu caminho todos os obstáculos, tanto espirituais como materiais, que bloqueiam e dificultam minha existência”. Esta oração não está de acordo com o que Jesus ensina. Ela é genérica, egocêntrica e inconsistente. Jesus disse que se ele for o nosso Senhor, teremos problemas, e não o contrário. Muitos entendem que ter fé na oração significa “decretar”, “tomar posse”, “profetizar”; querem dar ordens a Deus. Que absurdo! Fé, humildade e dependência de Deus andam juntas. Na oração que Jesus nos ensinou, devemos dizer: “seja feita a tua vontade”.

Desenvolvimento. Nos aperfeiçoamos na oração apenas orando. De nada adianta sabermos tudo o que a Bíblia diz sobre a oração, se não orarmos. Somente a prática da oração nos fará compreender a sua importância e motivações corretas. Alguém disse que o cristão deve “orar, continuar orando, até orar de verdade”. É na oração onde mais compreendemos e experimentamos o amor de Deus por nós. Nosso Pai que está nos céus responde às nossas orações, mas o melhor da oração é o fato de estarmos falando com ele, e sabermos que ele nos ouve. Haveria motivação maior do que essa? As maiores bênçãos já foram recebidas por seus filhos: o perdão de todos os pecados e a vida eterna. O quanto isso é maravilhoso para nós, e tem nos levado à oração?

“A nossa vida de oração reflete o nosso relacionamento com Deus”.

Eliezer Schuind da Silva